Sexy time.

Como se organiza uma lista de melhores episódios? Qual parte do corpo a gente tem que usar, hein? O coração? A mente? Ou os dois intercalados? Como distinguir a excelência da própria excelência?

Até a estreia da última temporada de Skins, a sétima, terão se passado cinquenta e cinco episódios. Todos poderiam estar nessa lista. Ok, não vamos te enganar: uns dois ou três são realmente ruins. Mesmo assim ainda restam mais de cinquenta para vinte vagas…

Então os principais critérios de seleção usados foram a história, o desenvolvimento das personagens e o impacto no fandom.

Mais do que uma lista de preferências, isso aqui é uma homenagem, então ‘bora entrar nesse épico túnel do tempo.

 

20

#20 – 5×04 “Liv”

Data de exibição: 17/02/2011
Roteiro: Ed Hime

Não pediram autorização para a Liv, simplesmente chegaram e disseram: “Olivia, agora você toma conta de tudo. Sua irmã está presa, sua mãe está noiada e perdida e não se esqueça da sua irmãzinha, a pobrezinha está crescendo sozinha.” Nesse turbilhão de emoções e desgaste familiar, Liv ainda se encontra na trama por poder armada por Mini, que sabe de suas trepadas secretas com Nick. Num ímpeto juvenil para abandonar tudo, ao menos para dar um pouco de paz à sua mente, Liv conhece Matty. Mas não é que ele é irmão de Nick? E o que a gente faz quando o escapismo nos enrola ainda mais nos fios dos problemas?

 

19

#19 – 3×04 “Pandora”

Data de exibição: 12/02/2009
Roteiro: Georgia Lester & Bryan Elsley

Pandora apareceu brevemente na segunda temporada e, por conta de seu bom desempenho, entrou para a segunda geração de Skins. É nos dada a chance de conhecer além da menina doce, ingênua e gentil. Pandora vive com a mãe, uma autêntica controladora neurótica, e também uma hipócrita, como depois se vê. Por conta do comportamento de sua genitora, Pandora se mascara dos variados tipos de postura, tudo para postergar uma franca conversa com ela. Panda, que perdeu seu namorado, resolve dar uma festa de pijama que, claro, sai de qualquer tipo de controle e toma proporções que até o santo Cook duvidaria. Destaca-se também a escrita, que conseguiu entreter e desenvolver muitas personagens e relacionamentos dentre o episódio.

 

18

#18 – 5×08 “Everyone”

Data de exibição: 17/03/2011
Roteiro: Sean Buckley

“Então case comigo, Grace Violet Blood.” Disposto a fazer valer a sua palavra, Rich e toda a turma da terceira geração partem para o interior, tentando fugir do alcance do Senhor Blood. Só que não contavam que a super van do Alo fosse quebrar! É na floresta, a pé, que os sentimentos reprimidos se afloram e é hora de confrontamentos e de resolver entraves. Mesmo que o objetivo não tenha sido alcançado, a viagem do grupo serviu para fortalecer a relação entre todos.


17

#17 – 4×02 “Emily”

Data de exibição: 04/02/2010
Roteiro: Ed Hime

Nítido era que alguma coisa aconteceria para estragar a bolha de amor de Naomi e Emily, mas poucos esperavam que fosse por meio de uma traição que acabou resultando numa tragédia. Pela primeira vez, Emily teve o controle de sua vida: poderia ser quem ela quisesse ser e, o melhor, com quem ela sempre quis. Todavia, essa situação foi momentânea e com o golpe de Naomi, Emily se viu sozinha num longo processo de recuperação da dor.

 

16

#16 – 2×06 “Tony”

Data de exibição: 17/03/2008
Roteiro: Jamie Brittain

Ele era o melhor. Reunia todas as qualidades e até os adoráveis defeitos que alguém pode ter. Até que um ônibus o acertou em cheio. Então ele não era mais o Tony e sim uma pessoa que um dia fora boa. Mesmo após meses de tratamento, sua vida ainda não era a sombra de antes. Então é por isso que parte sozinho, longe da família e amigos, para uma jornada de (re)descobrimento nesse psicológico episódio.

 

15

#15 – 3×09 “Katie & Emily”

Data de exibição: 19/03/2009
Roteiro: Malcolm Campbell & Bryan Elsley

Elas vieram juntas ao mundo e estiveram também sempre juntas, para qualquer tipo de situação. No entanto, a relação entre as irmãs era sutilmente demarcada pela questão do poder: era Katie quem o detinha, restando a Emily obedecer. Só que praticamente tudo que a Katie mais valorizava estava em declínio: seu rosto ainda estampava as marcas da Effy, que também se faziam presente com a rejeição do Freddie por ela. Além disso, para piorar, Emily estava amando e sendo amada de volta. Justo a Emily, o porto de salvação de Katie. O episódio é, no duro, a história da irmã que, por mais valente que tentava se passar, era a mais frágil e que precisava da outra para se sentir segura.

 

14

#14 – 5×02 “Rich”

Data de exibição: 03/02/2011
Roteiro: Jamie Brittain

Arrogante, grosso, estúpído…A lista vai longe para descrever o que era o Rich no começo da quinta temporada. Mais que uma ideologia, ele parecia ter uma barreira instransponível para se relacionar com as pessoas que não compartilhavam de suas posições. Quando Alo tenta arranjar um par para ele, Rich se vê obrigado a aceitar a ajuda de Grace, embora destestasse tudo que ela superficialmente representava. É, apenas superficialmente, porque a Grace, com sua graciosa vontade, consegue penetrar no mundinho de Rich, deixando em cacos toda a teoria dele, colocando o doce gosto da dúvida em seus lábios. Destaque para a trilha sonora que foi escandolosamente ótima.

 

13

#13 – 2×03 “Sid”

Data de exibição: 25/02/2008
Roteiro: Bryan Elsley

Quando o avô de Sid aparece na casa do Mark para a reunião de família, traz consigo todos os elementos que faz o pai do Sid se lembrar do quanto ele não foi aceito e de quanto ele ainda não é amado por seus parentes. Ele é um excluído, resultando numa aproximação com seu filho. Sid, além de aguentar tudo isso, tem de lidar com a ausência da mãe, que abandonara seu pai, e com a suposta traição de Cassie. Até que Mark repentinamente morre e Sid se encontra sem qualquer tipo de rumo.

 

12

#12 – 3×07 “JJ”

Data de exibição: 05/03/2009
Roteiro: Bryan Elsley

JJ só queria ser normal, se bem que ninguém sabe o que essa palavra significa. Ele tenta acompanhar o ritmo de Freddie e Cook, mas seus amigos estão longe demais de serem alcançados. Estão perdidos dentro do jogo de Effy, brigando entre si. É então que JJ se torna a Emily, outra com “problema mental”, e uma amizade mútua é esculpida, com resultados para nenhum ‘normal’ botar defeito.

 

11

#11 – 5×05 “Nick”

Data de exibição: 24/02/2011
Roteiro: Geoff Bussetil

Há dois Nick na s5: o que gostariam que ele fosse e o que ele é. Alguns personagens no percurso das gerações também tiveram esse dilema “ser ou não ser”, mas as duas versões do Nick foram muito díspares.E por que isso aconteceu? A maior influência para manter uma máscara é por conta da família.  Matty está pouco se fodendo pro pai dele e todas as convicções e estilo de vida que ele tenta forçar nos filhos, mas me parece que o Nick tinha, no começo, uma grande necessidade de se sentir aceitado e, assim, protegido. Então ele fazia o papel de “filho perfeito” jogando rugby e azarando as meninas.Só que se veste uma máscara por muito tempo, acontece uma das duas coisas: ou você se torna aquilo que você fingia ou você explode. Ao pegar o taco e partir para a destruição, Nick deixa bem claro o que lhe sucedera.

 

10

#10 – 4×04 “Katie”

Data de exibição: 18/02/2010
Roteiro: Georgia Lester

Apesar de “in-universe” Katie ser a gêmea que mais recebe atenção, entre telespectadores ela sempre foi ofuscada por sua gêmea Emily, com sua personalidade (definitivamente) mais cativante e épico romance com Naomi; poderíamos dizer que ela passou despercebida durante toda a S3 e primeiros episódios da S4, se não fosse por suas ocasionais artimanhas como sua inesquecível missão de destruir Naomily e, bem, ter tido o crânio quebrado ao meio com uma pedra por Effy. Mas, quando chegou sua vez de ter um episódio só para si na S4, Katie – agora conhecida como Katie Fucking Fitch depois de ter protagonizado uma das cenas mais icônicas de Skins – nos surpreendeu ao demonstrar seu lado sensível e um grande amadurecimento, e conquistou o respeito de todos ao assegurar sua independência e realizar uma tarefa aparentemente impossível – a de unir sua família novamente.

 

09

#09 – 1×09 “Everyone”

Data de exibição: 22/03/2007
Roteiro: Bryan Elsley

Esse é o primeiro final de temporada e é focado especialmente nos garotos. Dos problemas de Chris com a sua ficante E professora, Angie, até as discussões dos melhores amigos Anwar e Maxxie sobre a homossexualidade, a religião e a hipocrisia, e a luta de Tony para reconquistar Michelle e rever o seu eu filho da puta, o episódio busca atar os fios deixados ao longo da temporada. Skins tinha chegado as telas de toda Inglaterra como uma série polêmica que se propunha a discutir a juventude de maneira franca, sem maquiagens ou hipocrisia. Esse episódio vem para comprovar essa personalidade. É um episódio impactante, quase inacreditável. Era para mostrar que Skins era algo totalmente novo, diferente, que veio para transformar a visão que as pessoas tinham da adolescência. Afinal, quantos outros seriados atingiriam o seu protagonista com um ônibus? E mais ainda, quantos fariam o tal protagonista se juntar ao seu melhor amigo e a todo o elenco (inclusive o figurante do mictório) em um grande número musical, assim, do nada? Skins era algo diferente, e as pessoas agora estavam certas disso.

 

08

#08 – 6×08 “Liv”

Data de exibição: 12/03/2012
Roteiro: Ben Bond & Bryan Elsley

Numa sexta temporada que agradou a poucos, o episódio da Liv serviu como um oásis. Lindamente construído, amarrado e desenvolvido, é acima de tudo a história de uma amiga fiel lidando com a perda e desilusão. Liv amava a Grace e Grace amava a Liv. Como dar adeus? Isso é possível? Atormentada pelo medo e acuada pelos seus próprios problemas, ainda mais com uma Mini cada vez mais estranha e próxima de uma diferente Franky, Liv quer paz e ao mesmo tempo respostas.


07

#07 – 3×06 “Naomi”

Data de exibição: 26/02/2009
Roteiro: Atiha Sen Gupta & Jack Thorne

Aos olhos de todos Naomi é uma garota durona. Talvez até arredia. Ela demonstra ser mais inteligente do que todos e também ser extremamente politizada para uma garota da sua idade. Sua vida em casa é uma bagunça. A mãe parece ser completamente maluca, e autoriza a entrada de todo tipo de gente em sua casa. Naomi acaba se aproximando de Kieron, seu professor de política, por quem nutre uma grande admiração. A misoginia de Cook pode ser nauseante, mas não há empecilho maior na vida de Naomi que Emily Fitch. A adorável garota ruiva que insiste em ser sua amiga, insiste em quebrar as barreiras que Naomi construiu ao seu redor e conhecê-la realmente. Aos poucos, Emily consegue se aproximar e despertar o lado vulnerável de Naomi Campbell.

 

06

#06 – 1×04 “Chris”

Data de exibição: 15/02/2007
Roteiro: Jack Thorne

Christopher Miles é um garoto abandonado. Seu pai o largou, o irmão involuntariamente o deixou e a mãe fugiu. Nesse mundo, ele só pode contar com seus amigos, mas todos nós sabemos que por mais amáveis que sejam, não podem tampar o buraco da solidão e da sensação de “por que comigo? o que eu tenho?”. Para tentar esquecer ao máximo seus dilemas, Chris diz Fuck it e tenta abraçar a vida como ele pensa que deveria ser.

 

05

#05 – 5×03 “Mini”

Data de exibição: 10/02/2011
Roteiro: Georgia Lester

É um episódio deprimente por estar tão próximo da realidade das jovens. Esqueça as festas, as drogas e as orgias, qualquer pessoa com neurônios em uso sabe que Skins tem uma dose de exagero e que a realidade é raríssimas vezes igual ao mostrado na tela nesses casos. A história de Mini, no entanto, é tristemente identificada com jovens em todo mundo por conta da pressão social nas meninas: elas devem ser sexualmente fluídas, mas olha lá, nada de ser putas, ao mesmo tempo em que a virgindade é tratada ou como uma recompensa pro garoto e como um martírio para a moça. Nem Nick, muito menos Mini queriam ter um relacionamento, tampouco fazer sexo, mas era o que clamavam os papeis que eles representavam perante todo o colégio. Destaque para a Freya Mavor, melhor atriz da série.

 

04

#04 – 2×10 “Everyone”

Data de exibição: 14/04/2008
Roteiro: Jack Thorne

Crescer. Sair do seu mundinho, da sua pequena Bristol para enfrentar os desafios da “vida real”. As notas finais, a faculdade, o trabalho, tomar decisões que vão influenciar para o resto de sua vida, inevitavelmente. Essa situação já é caótica para qualquer adolescente que se vê, de um dia para o outro, tendo que encarar a vida adulta. Mas ao meio de tudo isso, o grupo ainda tem que lidar com problemas muito maiores: A morte de Chris. Chris, que sempre fora gentil, engraçado e um ótimo amigo para todos. Os caminhos se separam, amizades se estreitam e a perda é tratada de uma maneira ao mesmo tempo poética e esculhambada (roubar caixões, alô?), ao melhor estilo Skins, nesse primeiro final de geração.

 

03

#03 – 1×02 “Cassie”

Data de exibição: 01/02/2007
Roteiro: Bryan Elsley

No primeiro episódio, encontramos uma Cassie enigmática, que nos enche de perguntas e curiosidades sobre o seu eu excêntrico. É nesse episódio que as respostas começam a surgir. Vemos um pouco mais da vida familiar da garota, além de sua relação com Sid e seus problemas alimentares. Repleto de cenas icônicas (como a famosa cena da cafeteria, onde ela ensina a Sid sobre como não comer) e sequências belíssimas, o episódio carrega a vida complicada de Cassie, levando a audiência em uma jornada pela mente da garota e seus conflitos para combater seus demônios internos. EAT!

 

02

#02 – 4×03 “Cook”

Data de exibição: 11/02/2010
Roteiro: Ben Schiffer

 James Cook perdeu o controle. Em uma festa, completamente alto, depois de espancar um garoto, ele é preso por delitos graves. Ele sai da cadeia em condicional, utilizando uma pulseira eletrônica que o denunciaria se ultrapasse o espaço limitado pela ordem judicial, e é levado para morar com sua mãe, uma artista que está frequentemente bêbada, e seu irmão mais novo, que o idolatra. Tudo parece desabar. Seu melhor amigo, Freddie, está com a garota que ama e como se não fosse uma decepção suficiente dolorosa Cook descobre que Freddie havia transado com sua mãe, percebendo que ele não é o único com caráter duvidoso por ali. Sem rumo, Cook vai ao encontro de Naomi, uma das únicas amigas que o resta, e que se encontra em uma situação também não agradável. Com Naomi, Cook se despe completamente de sua armadura de babaca durão e mostra ser apenas uma criança que perdeu demais e está completamente louca para ter seu amor correspondido. O resultado de sua sensibilidade é apenas mais uma porrada de confusão.

01

#01 – 1×08 “Effy”

Data de exibição: 15/03/2007
Roteiro: Jack Thorne

E foi ao decidir escrever sobre a menina muda que Skins revolucionou o tratamento e enfoque que as séries jovens deveriam dar a suas personagens para serem levadas à sério e marcarem época. Indiscutivelmente Effy é a personagem mais icônica da série, você gostando dela ou não, e seus primeiros passos mais largos foram aqui dados. A construção desse episódio é como um soco no estômago, que o deixa indigesto e estupefado. Jack Throne reuniu em 45 minutos uma verdadeira obra prima ao explorar tão psicologicamente a fraqueza de Tony: Effy, ao mesmo tempo em que determinava as sombras de seus futuros.