Você pode até não saber, mas o seu amor por Skins provavelmente só é tão grande como é por conta de um homem: Jack Thorne. Ele foi um roteirista de Skins e ficou responsável por remodelar os personagens Chris e Naomi, além de praticamente criar a Sketch e bancar a Effy na primeira temporada, ao pedir para escrever sobre a menina que não falava ao invés de darem o episódio para o Anwar.

Então para estrear essa coluna, não poderíamos escolher outro trabalho a não ser The Fades, série de seis capítulos criada, escrita e produzida pelo Jack, que conta com os atores de Skins Joe Dempsie, Lily Loveless e Daniel Kaluuya no elenco.

Você é um adolescente de 17 anoss. Não é popular, sua irmã gêmea o despreza, você não tem namorada e seu único amigo é também tão nerd e virgem quanto você. Sua vida parece seguir a mesmice do desprezo alheio quando toda noite você passa a ter pesadelos, cada vez mais reais, com figuras pós apocalípticas. Se não bastasse isso, de dia você começa ver pessoas mortas.

Bem vindo a The Fades.

Nós somos ensinados que quando uma pessoa morre, ou ela vai para o Céu ou para o Inferno. Mas essa não é a proposta da série. As Fades (uma mistura de espíritos com sombras) são pessoas que morrerram e foram impossibilitadas de passarem para o outro lado. Assim, elas apodrecem na Terra. Quando Paul (Iain De Caestecker), nosso protagonista, percebe que é capaz de vê-las, ele também descobre que as Fades estão começando a assassinar as pessoas de sua cidade para se alimentarem de seus sangues, com o objetivo de poderem abrir um portal de ascenção apocalíptica.

Sendo achado pelo grupo dos Angélicos – pessoas que combatem as Fades -, Paul tem de assumir a sua responsabilidade em ser o Escolhido (assim como em Buffy ou Harry Potter) para deter o mal, ao mesmo tempo em que tenta não expor a sua família e amigos em risco.

Não há diálogo ruim em episódio nenhum. Tudo é apresentado com uma elegante maestria: seja para te fazer rir, seja para te fazer reflitir, ou até mesmo para chorar (prepara-se, serão muitas vezes), The Fades sabe como te deixar capturado na tela com a sua profundidade e com suas eternas referências ao universo nerd e pop.

Nossos atores de Skins estão IMPLACÁVEIS em seus papéis. Começando pelas damas, Lily dá vida à irmã gêmea de Paul, a Anna. De início, você pode achar que ela é bobinha, mas ao longo dos episódios Anna fica mais à vontade para que Lily dê um espetáculo (na maioria, espetáculo de humor – NINGUÉM PODE SER ASSUSTADOR COM UM PINTO DESSE SEU TAMANHO!  / VOCÊ É LOUCO, O STEVE ESTÁ LOUCO E A JAY É A PORRA DUMA MONITORA DE BIBLIOTECA!!!!!).

Quem só viu o Joe como Chris, tomará um susto ao vê-lo em The Fades: ele é literalmente um pedaço de mal caminho que também literalmente come as pessoas. Com uma história emocionante por trás de suas maldades, a principal função de John é nos expor a linha tênue entre os valores em que consideramos do bem e os valores impostos como do mal pela sociedade.

Mas o destaque principal vai para o Daniel por conta de tudo que fez como o melhor amigo do Paul, o Mac. De longe o personagem mais completo e humano, o mais próximo de todos nós. Fora que a química entre ele e a Lily é nível OMG, I WILL DIE WITH THIS SHIP (como pode ver no vídeo legendado abaixo).

Pode carimbar com o selo pica das galáxias, produção.

Aconselha-se fortemente a baixar os episódios em 720p para apreciarem  o Joe nu e a Lily seminua  todos os cenários.

Infelizmente a série foi cancelada, o que gerou uma enorme revolta em todo santo que a assistiu e se provou um grande erro, já que The Fades ganhou o BAFTA de melhor série dramática (coisa que Skins nunca ganhou).

Jess e Rodrigo