Jack O’Connell: Desde que eu acredite no personagem, eu interpreto qualquer coisa

Um dos atores mais brilhantes de Skins, Jack O’Connell construiu sua fama interpretando jovens delinquente. Agora, ele atinge um ponto crucial de sua carreira e passa a ganhar reconhecimento na mídia mundial, sem perder um milímetro do charme britânico que todos adoram.

Jack estudou artes dramáticas no colégio, e estreou como ator em um episódio do seriado Doctors, em 2005. No mesmo ano, participou de quatro episódios do seriado The Bill. No ano seguinte, interpretou Purkey Nichols no filme This Is England, no qual teve um personagem escrito especialmente para ele. No seriado, ele teve a oportunidade de trabalhar com dois grandes ídolos, Stephen Graham, com quem contracenou, e Shane Meadows, diretor e roteirista. Em 2007 fez participações em três seriados: Waterloo Road, Holby City e Wire In The Blood. Em 2008 protagonizou o thriller Eden Lake, em que interpreta o líder de uma gangue. Em 2009 fez parte de uma adaptação para TV de Wuthering Heights, e no mesmo ano estreou a terceira temporada de Skins, como James Cook, com o qual foi premiado com TV Choice Awards em 2010.

Além de todas as pessoas que teve a oportunidade de conhecer, Skins serviu de base para a carreira de O’Connell. “Skins me proporcionou uma plataforma”. Mas ele está bastante ciente de seus próprios créditos: “Eu tenho que assumir a minha responsabilidade. Me perdoem por ser um pouco egocêntrico, mas entrei nas audições e tornei Cook acreditável pra eles.”. Jack reconhece ser uma apreciação mútua, e que, com ela, pode criar uma amizade com as pessoas envolvidas, que apreciam o trabalho dele tanto quanto ele aprecia o delas. Jack acredita na proposta do contrato de dois anos em Skins, pois dá a oportunidade aos atores de procurarem outras coisas e mantém todos muito apaixonados pelo trabalho, além de manter o enredo sempre fresco. “Acredite em mim, cara, foi uma puta ejaculação na indústria!”

Jack O’Connell e Kaya Scodelario namoraram durante as gravações da terceira temporada, e pareciam se dar muito bem. Mesmo depois do término, eles garantem que ainda permanecem bons amigos e não há nada estranho entre eles. “Acho que precisaria de muito pra ficar estranho entre a gente”, ele diz.

Entre as gravações de Skins, O’Connell gravou Harry Brown, outro thriller envolvendo gangues britânicas e em 2010 estreou o filme para TV Dive, de caráter mais naturalista. Em 2011 protagonizou outro drama para TV, United, e no mesmo ano, estreou em um seriado de seis episódios, The Runaway, no qual interpretou o papel principal. E a vida de Jack fica mais e mais conturbada. Ainda em 2011, estrearam mais dois filmes, Weekender e The Somnambulist e um curta, Shelter. Em 2012 estrearam Private Peaceful, Tower Block e The Liability.

Ao ser questionado sobre se envolver apenas em roteiros chocantes, Jack responde que, no começo de carreira, qualquer papel é aceitável, mas ele teve muita sorte em mostrar tamanha profundidade. “Desde que eu acredite no personagem, eu interpreto qualquer coisa”, ele diz.

Após anos de carreira, Jack está prestes a lançar seu primeiro filme em Hollywood, 300: Rise of an Empire. Ele garante não ser um ator impressionável, e não teve pressa ao se abrir para os americanos, apenas esperou que batessem em sua porta. Em uma entrevista sobre Weekender, em 2011, ele disse: “Eu não vou me vender, não vou me colocar lá fora como qualquer coisa velha. Eu não posso ser convencido a começar tudo de novo, entende? Eu prefiro que eles venham até mim. Eles contatam meu agente com frequência, vários produtores e agentes de LA, e eu fico lisonjeado porque quer dizer que estou impressionando as pessoas certas, mas isso não significa nada pra mim – eu quero apenas continuar trabalhando pelos motivos certos e continuar fazendo coisas como Weekender. ”. 300 estreará este ano e Jack viveu tempos difíceis nas gravações com intensos treinos físicos e abstinência de cerveja.

No Outono deste ano, teremos a tão esperada estreia de Skins 7 e Jack diz que se sentiu muito lisonjeado ao ser chamado, especialmente por considerarem seu personagem “popular” o suficiente.  Jack pensa que será um grande desafio para todos os atores, pois os episódios serão unicamente focados em seus personagens. Ele está bastante orgulhoso do roteiro, e diz que se identifica com Cook mais do que com qualquer outro personagem que já tenha interpretado.

Jack é fanático por futebol, torce para o Derby County, e diz ser meio hippie na vida real. Quando fica longe de casa, leva fotos da família por todos os lugares e se comunica com os entes queridos via WhatsApp. Além de atuar, Jack trabalhou em uma fazenda por algum tempo. “Eu andava por aí em um jipe. Tudo de boa. Faria de novo”.