Cassie Ainsworth é uma personagem extremamente complicada e que geralmente é má compreendida tanto por fãs como por seus amigos. Por atrás de uma máscara de inocência e de um comportamento aéreo, Cassie esconde alguns dos segredos mais obscuros de toda a série e uma personalidade que, com o incentivo certo, pode ser completamente destrutiva.
Na primeira vez que conhecemos a garota, vemos uma Cassie que acabou de sair de uma clínica de reabilitação mental. Ela é exatamente o tipo de personagem que chama atenções, com a sua sinceridade inabalável e com um comportamento que – à primeira vista – pode ser visto como inocente e sonhador. Seus “wow”s e “lovely”s rapidamente ganham a série. As pessoas facilmente tornam-se investidas em Cassie, fascinadas ou curiosas por seu jeito peculiar.
Essa curiosidade começa a ser saciada após o segundo episódio da temperada, que leva o seu nome. É nesse episódio que começamos a mergulhar na complexidade que é Cassie Ainsworth. Começamos a conhecer seu mundo.
Como na maior parte dos casos, sua personalidade é modelada por sua vida familiar. Ou em seu caso, a falta desta. Cassie é um fantasma em sua própria casa, invisível à sua própria família. Seus pais, tão felizes em seu casamento, esquecem a filha mais velha e por vezes o bebê recém-nascido, apenas focando em seu próprio relacionamento. E é aí que nasce o primeiro dos problemas de Cassie – seu distúrbio alimentar. Cassie não come pois não comer significa controle sobre o seu próprio corpo, e é esse (ao seu ver) é o único controle que pode ter em sua vida (“Eu parei de comer e todos tiveram que fazer o que eu dizia”). Esse distúrbio também nasce de seu desejo por atenção. Por ser invisível, Cassie exterioriza o seu pedido de ajuda, mas sem nunca dizê-lo em voz alta. Os problemas mentais e alimentares de Cassie têm início em seu pedido silencioso e autodestrutivo por atenção.
E é aí que Sid entra em cena. O romance entre Cassie e Sid vem das necessidades de duas pessoas extremamente solitárias. “Ninguém se importa”, Cassie diz para Sid sobre a sua anorexia. “Eu me importo”, Sid responde. São nessas pequenas palavras que Cassie vê a sua salvação. Alguém se importa. Alguém finalmente ouviu o seu pedido de ajuda, alguém finalmente quer apoiá-la, porque alguém finalmente se importa. Alguém viu através de sua fala rápida e jeito avoado e encarou os seus problemas. Só que nada é tão fácil assim, como descobriremos mais tarde.
Cassie é uma personagem que ama demais e que busca ser amada de volta, e talvez possamos ver seu arco inteiro por essa visão. É a busca de uma garota solitária por atenção, carinho e compreensão (“por favor, olhe para cima se você gosta de mim”), o que a leva a extremos, machucando a si e a outros no caminho.
Vemos então Cassie em seu primeiro episódio, tendo acabado de sair de uma clínica de reabilitação. (“Nova eu. Como a antiga eu, só que melhor”). Cassie é convencida por Michelle para ir para uma festa, onde ela deveria tirar a virgindade de Sid. Algo curioso foi a escolha de colocar Cassie como uma “outsider”. Tirando Michelle, o resto do grupo não a conhece realmente. Enquanto todos já tem laços que vêm da infância, Cassie é um elemento novo. Isso apenas aumenta a magia e o mistério que envolvem a personagem, também como realça o fato de que, apesar de sua personalidade extrovertida e de sua facilidade de falar com as pessoas mais diferentes, Cassie é realmente uma garota solitária.
Mas quando nada dá certo na festa e Sid não perde a sua virgindade, as coisas começam a mudar. Cassie começa a voltar para a vida normal (ou o mais normal que Skins consegue ficar, de qualquer maneira) e a se integrar mais com o grupo. É aí que ela se aproxima mais de Sid, o que, depois da cena da cafeteria, começa a mexer com seus sentimentos.
Oh Cassie! Mas que péssima pessoa para se apaixonar, não? Sid tem um bom coração e realmente gosta de Cassie. Mas amor nem sempre é tudo, certo? A questão é que Sid e Cassie não poderiam ser mais problemáticos. Eles nunca estão na mesma página! Cassie tem muitas necessidades. Ela precisa de atenção e de carinho e, mais do que tudo, de estabilidade. Ela precisa de alguém que ela saiba que pode contar. Em sua vida de altos e baixos, ela precisa de alguém para segurá-la. Ela precisa, precisa, precisa. E Sid não consegue satisfazê-la em nenhum desses quesitos. Sid tem uma personalidade extremamente passiva. Ele não toma iniciativa, raramente corre atrás, não se move. E isso cai sobre a relação deles.
A baixa autoestima de Cassie, sua necessidade de sentir amada e de ter outros tomando conta dela, contrastam com a passividade de Sid. Enquanto, em um primeiro momento, ele parece atencioso e disposto, a relação deles prova que Sid na verdade não tem ideia de como lidar com Cassie. Ele não é maduro o suficiente para enfrentar os problemas dos dois.
A prova máxima dessa dinâmica é quando Cassie tenta se matar. Após ser esquecida por Sid (que mais uma vez escolhe Michelle ao invés dela), Cassie se joga em solidão e em um pedido desesperado por atenção, e tenta tirar a própria vida. Por sorte, Jal a encontra. Jal que, ao contrário de Sid, é madura o suficiente para entender seus os problemas e tentar ajudá-la. E quando Sid finalmente chega (porque, no final das contas, ele se preocupa com Cassie, da sua prórpia maneira), Jal o manda ir embora. É tarde demais para ele se importar. A merda já foi feita. (Não seria bom se todos tivessem uma Jal para arrumar as relações?).
A relação de Sid e Cassie é uma maneira interessante de se aproximar da mente da garota. Muito de sua personalidade passa pelo jeito que os dois interagem. Não é como se a história ou personalidade de Cassie fosse limitada as suas interações com Sid (claro que não!), mas é seguindo essa história que percebemos as maiores motivações e transformações.
Na segunda temporada, por exemplo, vemos uma mudança radical em Cassie. Seu coração foi quebrado. Mais do que todas as vezes, ela foi traída e machucada. E suas cicatrizes abriram. Toda aquela solidão, todos aqueles problemas com os quais ela tentava lutar com durante a primeira temporada foram liberados.
Vemos, durante esse período, uma Cassie vingativa e destrutiva. Ela destrói a si mesma e a todos a sua volta, muitas vezes de propósito. Por inveja, por arrogância, ou simplesmente por prazer. Que os outros sofram como ela está sofrendo. (“Eu tive a minha dor, e agora você terá a sua”).
Em alguns momentos esse desejo destrutivo pode se remeter ao desejo de atenção de Cassie, novamente. Ela quer desesperadamente se confrontar com Sid, resolver os seus problemas, brigar com ele. Gritar na casa dele e chamá-lo de filho da puta, dizer que ele a traiu e que não está perdoado. Que ele corra atrás dela, que ele seja o primeiro a pedir desculpas. Mas claro, Sid não vai. É o clássico problema entre os dois.
Todos nós precisamos de ajuda e todos temos diferentes meios de pedir por ela. O de Cassie é destruindo coisas.
Mas enquanto a maior parte das pessoas ao seu redor parece ignorar os pedidos de ajuda de Cassie, outras parecem surgir bem quando ela mais precisa, como mágica. Mágica seria bem a palavra certa, porque Cassie parece ter bastante disso em sua vida.
Ela é uma personagem encantadora e encantada. Ela tem uma maneira de fazer amigos e conhecer pessoas que a levarão para os lugares certos, de um jeito que nenhum outro personagem parece ter. Imagine agora Sid perdido em Nova Iorque e precisando de um lugar para ficar. Um desastre, de certo. Mas para Cassie as coisas vêm de maneira natural. É como se ela tivesse sua própria moedinha da sorte em momentos como esses. O taxista britânico, o taxista americano, o garoto de Nova Iorque, todas essas pessoas que surgem na sua vida como mágica. Alguns poderiam até dizer que essas figuras são produtos de sua mente (como as mensagens “Coma!”).
Bom, poderíamos falar sobre Cassie durante um bom tempo. Como a maior parte dos personagens de Skins, ela é bem real, com motivos e aspirações e sentimentos que vão além de algo dimensional. Na verdade, é quase impossível que alguém entenda todas essas coisas, pois a história fala muito com cada um, se refletindo nas vivencias pessoais. Cada um tem a sua própria interpretação dessa personagem. Basicamente, Cassie é uma personagem complexa e excêntrica, cheia de contradições. Ela é mágica e misteriosa e completamente “lovely”. Uma garota solitária, buscando amizades, amores e compreensão. Buscando o seu lugar.

~Bia